silveirasemfoto.com

HISTÓRIA DO MAESTRO JOÃO BATISTA JULIÃO




No final do século XIX, a pequena Silveiras, no Estado de São Paulo, testemunhou o rebento de mais um membro da família Julião. João Batista veio à luz no dia dezenove de setembro de 1886 e foi nos domínios de seu nascedouro que tomou as primeiras lições de música ao participar da banda dirigida por Desidério Alves Leite.
Deixou sua terra natal, em 1904, seguindo para Mogi das Cruzes, onde foi admitido como músico da Corporação Musical Guarani. Tornou-se regente quando duas bandas da mesma cidade, Guarani e Euterpe, uniram-se para originar a Corporação Musical União Mogiana.
Admitido no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, inicia seus estudos superiores, em 1912, sob orientação do compositor, musicólogo e professor italiano Savino de Benedictis e de Antônio Carlos Ribeiro de Andrada e Silva Júnior.
Em 1913, aos 27 anos, fundou o Instituto Musical de Mogi das Cruzes.
Após a conclusão de seu curso, torna-se Mestre-Capela da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Sant’Anna. Como Kapellmeister em Mogi das Cruzes permanece até transferir-se para o Rio de Janeiro, onde especializou-se em Canto Orfeônico pelo Conservatório Nacional, obtendo do Ministério de Educação e Saúde, o registro de professor de Canto Orfeônico. De posse do título, assumiu a cadeira de Música e Canto Orfeônico na Penitenciária-Modelo do Estado de São Paulo.
Colaborador do maestro João Gomes Júnior, atuou na preparação de alunos de grupos escolares para a comemoração do Centenário da Independência. Nessa época, torna-se professor efetivo da Escola Normal Padre Anchieta, em São Paulo.
Participou, com outros músicos, da fundação do Instituto Musical de São Paulo, em 1927.
Em 1944
Atendendo a sugestão do maestro, a Faculdade Católica de Campinas cria, em 1947, o Conservatório de Canto Orfeônico “Maestro Julião”, posteriormente, em 1964, transformado em Faculdade de Música.
A partir de 1949, dirigiu o curso de Canto Orfeônico do Instituto de Educação Caetano de Campos, posteriormente, em 1963, transformado em Conservatório Estadual de Canto Orfeônico. Em 10 de junho de 1974, a Lei Estadual nº 236 transforma o Conservatório em autarquia de regime especial sob a denominação Faculdade de Música “Maestro Julião”, uma justa homenagem ao exigente mestre falecido em 20 de maio de 1961. A faculdade tornou-se embrião do Instituto de Artes da UNESP que passaria a funcionar a partir de 1976.



O Instituto de Artes da UNESP nasceu em janeiro de 1949 pelas mãos do Maestro João Baptista Julião, que criou o Conservatório Estadual de Canto Orfeônico, anexo ao Instituto de Educação Caetano de Campos.
Após 18 anos, o conservatório mudou-se para a Praça da Luz, em anexo a atual Pinacoteca do Estado. Sete anos mais tarde, em 1974 o Conservatório Estadual de Canto Orfeônico passou a se chamar Faculdade Estadual “Maestro Julião” e sendo transferida para São Bernardo do Campo.
Em 1976, ainda na qualidade de Faculdade de Música, passou a integrar, através da Lei n.º 952 de 30-1- 76, a então criada Universidade Estadual Paulista (UNESP).
Em 1981 o Instituto de Artes vem para a Capital, instalando-se então no bairro do Ipiranga, onde passou a funcionar, sendo a única dentre as 15 Unidades da UNESP com sede neste Município.
Em 1993, justificada pela expansão do Instituto, foi alugado outro imóvel para alojamentos administrativos e ainda foram alugados imóveis para servirem à Moradia Estudantil. Em 1994, para instalar os ateliês e oficinas do curso de Bacharelado em Artes Plásticas foi alugado um outro imóvel e por contenção de despesas, em 1998 a Divisão Administrativa retornou à sede.
Em 2009, o Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista mudou-se para o Bairro da Barra-Funda (São Paulo), onde se encontra até o momento.

Cursos Oferecidos Atualmente

Artes Cênicas (Licenciatura)
Artes Visuais (Licenciatura e Bacharelado)
Composição (Bacharelado)
Regência (Bacharelado)
Educação Musical (Licenciatura)
Canto (Bacharelado)
Instrumento (Cordas, Violão, Sopros, Percussão e Teclados) (Bacharelado)







Fonte - Jornal O Lince  e Wikipédia


Silveiras

Silveiras

Nossa História

Nossa História

Advogados

CONHEÇA SILVEIRAS

Silveiras , a ntigo rancho de tropeiros, desenvolveu-se no século XIX com a introdução do café no Vale do Paraíba. Em 1842, foi elevada...

Acesse aqui

Acesse aqui
Digite o nome da pessoa ou negócio que procura em SILVEIRAS SP:

Páginas